verde

Maracanã-pequena (Diopsittaca nobilis)

Postado em Atualizado em

Maracanã-pequena

Maracanã-pequena - (Diopsittaca nobilis)-3

Classificação Científica

Reino:  Animalia
Filo:  Chordata
Classe:  Aves
Ordem:  Psittaciformes
Família:  Psittacidae
 Rafinesque, 1815
Espécie:  D. nobilis

Nome Científico
Diopsittaca nobilis
(Linnaeus, 1758)
Estado de ConservaçãoPouco preocupante

A maracanã-pequena (Diopsittaca nobilis) é uma ave Psittaciforme da família Psittacidae, família dos periquitos, araras, papagaios e jandaias. É também conhecida na região de Franca como maracanã, e em outras regiões como arara-nanica, ararinha-nanica e maracanã-nobre.

Não é frequente em cativeiros por ser uma ave de difícil domesticação e muito barulhenta.

A maracanã-pequena é muito semelhante à uma arara pequena, com sua testa azulada, pele branca nos lados do bico e ao redor dos olhos, o ombro e a parte média de sua asa vermelhos e o extremo da asa azul, em volta dos olhos a pele é nua, característica de seu grupo, como em araras.

Não possui dimorfismo sexual.

Em Franca ela pode ser avistada nas matas ao redor da cidade e também em praças da cidade, como a praça da matriz e outras praças onde haja palmeiras frutíferas, elas visitam as praças atrás dos coquinhos das palmeiras, sua principal fonte de alimentação. Normalmente ela é avistada em casais ou grupos (quando fora da época de reprodução).

Galeria de fotos:

Anúncios

Periquito-rei (Aratinga aurea)

Postado em Atualizado em

Periquito-rei

Maracanã-pequena - (Diopsittaca nobilis)-3

Classificação Científica

Reino:  Animalia
Filo:  Chordata
Classe:  Aves
Ordem:  Psittaciformes
Família:  Psittacidae
 Rafinesque, 1815
Espécie:  A. aurea

Nome Científico
Aratinga aurea
(Gmelin, 1788)
Estado de ConservaçãoPouco preocupante

O Periquito-rei (Aratinga aurea) é uma ave Psittaciforme da família Psittacidae, família dos periquitos, araras, papagaios e jandaias. É também conhecido como cabeça-de-coco, periquito-estrela, jandaia-estrela, aratinga-estrela, coquinho-de-ouro, jandaia, ararinha e maracanã-de-testa-amarela (Amapá).

É comum em cativeiros por ser facilmente domesticado, também é um dos representantes mais numerosos de sua família no Brasil.

O periquito-rei mede cerca de 27 centímetros, possui a maior parte de seu corpo na cor verde, com um topete alaranjado e a cabeça azulada, no ventre um verde-amarelado e penas azuladas na ponta das asas.

Não possui dimorfismo sexual.

Em Franca ele pode ser facilmente avistado em praticamente qualquer mata ao redor da cidade e também em praças e áreas verdes da cidade, como a praça da matriz e outras praças onde haja palmeiras frutíferas, eles visitam as praças atrás dos coquinhos das palmeiras, sua principal fonte de alimentação, junto com outras sementes. O periquito-rei vive em casais e é comumente avistado em grandes bandos.

Galeria de fotos:

Ariramba-de-cauda-ruiva (Galbula ruficauda)

Postado em Atualizado em

Ariramba-de-cauda-ruiva

Classificação Científica

Reino:  Animalia
Filo:  Chordata
Classe:  Aves
Ordem:  Galbuliformes
Família:  Galbulidae
 Rafinesque, 1815
Espécie:  G. ruficauda

Nome Científico
Galbula ruficauda
(Cuvier, 1816)
Estado de ConservaçãoPouco preocupante

A ariramba-de-cauda-ruiva (Galbula ruficauda) é uma ave galbuliforme da família Galbulidae. É também conhecida como ariramba-de-cauda-castanha, beija-flor-d’água, beija-flor-da-mata-virgem, beija-flor-do-mato-virgem, beija-flor-grande, bico-de-agulha, bico-de-agulha-de-rabo-vermelho, bico-de-sovela, cuitelão, fura-barreira(PE), fura-barriga(PE), guainumbi-guaçu, sovelão(MG) e barra-do-dia (MA).

Parecida com um beija-flor, devido ao seu bico e coloração iridescente, é todo verde visto por trás, sendo visível a coloração ruiva apenas de frente em sua cauda e seu peito, a garganta é totalmente branca nos machos adultos, enquanto que nas fêmeas e jovens ela é branco-ferrugínea.

Em Franca, pode ser encontrada próximo a córregos fora da cidade ou mesmo na cidade em áreas onde há encostas de terra, onde frequentemente fazem seus ninhos, também podem fazer seus ninhos em cupinzeiros.

Por se alimentarem exclusivamente de insetos apanhados em pequenos vôos, é comum ser encontradas em poleiros como galhos na beirada de árvores. É facilmente visualizada por suas cores iridescentes sob o sol, que dão à ela um brilho inconfundível.

Vivem em casais, mas são encontradas com maior frequência solitários por se alimentarem sozinhos.

Galeria de fotos: